Buscar
  • Marina Cappai Santos

Qual a importância do ensino das Virtudes?

Atualizado: 30 de abr. de 2021


Podemos responder a essa pergunta através do livro de Charlotte Brontë, “Jane Eyre.”

Jane Eyre é uma menina órfã que, após ser rejeitada pela única pessoa que poderia tê-la acolhido, acaba sendo levada para um internato com péssimas condições de habitação. Depois de alcançar a idade adequada, conquista sua independência e logo é contratada como preceptora numa casa cheia de mistérios. Ela se apaixona pelo seu patrão e é surpreendentemente correspondida, experimentando a deliciosa sensação de viver um romance.


No entanto, no dia de seu casamento descobre um segredo de seu noivo que muda toda a situação. Jane é tomada por uma tristeza profunda, mas precisa tomar a mais importante decisão de sua vida: casar-se mesmo conhecendo aquele segredo ou abandonar tudo e seguir seus valores. A jovem não tinha ninguém no mundo a quem devesse satisfações de sua vida e decisões, poderia escolher o caminho mais fácil, a felicidade momentânea. Porém, apesar de muito sofrimento, Jane chega a uma conclusão: “Eu me preocupo comigo. Quanto mais solitária, quanto mais sem amigos, quanto mais desamparada eu estiver, mais respeito terei comigo. Manterei a lei dada por Deus, sancionada pelos homens. Vou me apegar aos princípios que recebi enquanto estava sã, e não louca como estou agora. Leis e princípios não servem para períodos em que não há tentação: são para momentos como este, quando o corpo e alma se levantam em um motim contra seu rigor; são severos; devem permanecer invioláveis. Se para minha própria comodidade eu os quebrasse, qual seria seu valor? Eles tem um valor: assim sempre acreditei; e, se não puder acreditar nisso agora, é porque sou louca; muito louca, com as veias pegando fogo e o coração batendo mais rápido do que minha capacidade de contar suas pulsações. Opiniões preconcebidas, determinações passadas, são tudo o que tenho para me agarrar nesse momento: nelas planto meus pés.”


Por meio dessa história é possível perceber que nosso longo aprendizado sobre valores e virtudes é determinante para o dia da DECISÃO. Não há dramas só na literatura, passamos por momentos cruciais na vida real, aqueles em que uma escolha pode mudar tudo. Escolher o que é CERTO, apesar do sofrimento que aquilo trará, é a recompensa de uma vida guiada por valores e princípios, temos sacrifícios e abnegação no lugar dos sentimentos. Essa opção pelo certo talvez custe nossa felicidade momentânea, mas o peso disso para um coração convicto de seus próprios valores não tem preço.


Essa é uma história fictícia, mas totalmente possível. A importância dos GRANDES LIVROS está nisso: podemos passar por lugares, situações e sensações que de alguma forma ampliam nossa percepção das coisas que carregam um valor real nos mais diversos dramas humanos.


Leia com seu filho, prepare-o para o dia da decisão!



Marina Cappai Santos

Pedagoga


313 visualizações0 comentário
whatsapp-messenger.png